[Romances da Mari Veiga] O que é o amor? - Cap 5

Olá meninas! Voooltei! ;)
Saudades? 
Vamos a mais um pouquinho de Andreia, Carol e seus desenrolos?
E não esqueçam hein, opiniões e críticas! É só voces falarem! 
@MariCVeiga
facebook.com/MariCVeiga


O dia seguinte


Andreia parecia uma adolescente contando da noite com Carol. Realmente tinha sido espetacular, agora era só esperar uma mensagem ou algo do tipo, porque ela não ia mandar nada, pelo menos por enquanto.
Dinha chegou na hora, com aquela roupinha toda justa, já puxou Carol de jeito e o celular de Carol caiu no chão do quarto do Motel de sempre. Ela não ia lembrar dele tão cedo.

Mais uma noite que Andreia não dormia direito, mas dessa vez era pelo turbilhão de pensamentos que a invadiram no silencio da madrugada. Porque ela ainda não tinha mandado nenhuma mensagem? Porque ela tinha sumido? A noite tinha sido ruim? A olheira da manhã seguinte a fez ir trabalhar um pouco mais mal humorada.

Já Carol tinha feito sexo com Dinha até mais ou menos umas 5 da manhã. Tinha sido bom, sempre é! Mas em um dado momento, quando Dinha estava nua do outro lado do quarto aproveitando uma das barrinhas de chocolate que o proprio motel cedia, Carol desejou fortemente que ali fosse Andreia. Se assustou com seus desejos e pensamentos pecaminosos, mas a queria. Mais do que tudo.

O dia iria passar como um grande borrao para as duas. Andreia irredutivel nao mandaria mensagem alguma, Carol nao sabia como agir, nunca tinha estado com uma mulher que despertasse todo esse desejo nela. Só sabia que queria muito encontrá-la novamente. E resolveu arriscar uma ideia.

Andreia saiu do escritório mais exausta do que o normal, passou em casa, pegou o mp3 e o fone e foi pra praia correr e pensar. Carol estava sentada no quiosque onde tinham bebido além da conta há algumas noites atrás na esperança de "cruzar" com Andreia.

O encontro foi um tanto quanto estranho, pra Andreia completamente inesperado, para Carol previamente calculado. O oi foi meio sem graça dos dois lados e as maos no bolso da calça jeans, pela primeira vez demonstraram de Carol uma inseguranca e timidez que Andreia ainda nao tinha conhecido.

Dessa vez Carol estava como um criança na situação. Com um pouco de abuso que lhe restava pediu a Andreia para ir até a casa dela, queria conversar. A outra não conseguiu recusar, apesar de ter feito um pouco de jogo duro. No fundo, estava feliz com aquilo tudo acontecendo.

Na sala um pouco desorganizada, ela serviu uma taça de vinho para cada uma, seria a unica da noite, e sentou na outra ponta de sofá esperando que Carol falasse o que queria. E ela contou tudo, contou da noite que teve com Dinha e o motivo que a levou a procurar outros corpos.
"Eu não sei o que é me envolver, precisei passar em outro corpo para me sentir eu novamente."

Andreia, irritada, engoliu em seco e perguntou:
"E aí? Esta se sentindo você novamente? Voltou para brincar comigo mais uma vez?"

Carol sorriu, completamente sem graça e ao mesmo tempo encantadora e disse:
"Voltei porque com voce me senti mais sendo eu mesma do que em qualquer outro momento."

A noite iria ser longa novamente, mas dessa vez não ia precisar de álcool, e estavam com uma vantagem. Amanhã é sábado e folga de Carol, ninguém teria hora para acordar.

0 comentários :

Postar um comentário