[Romances da Mari Veiga] - O que é o amor? Cap 24


Vim tarde, mas eu vim!! 
E com ótimas novas!! Hoje é o último capítulo de O que é o amor? Mas ninguém precisa chorar, semana que vem, começamos um novo! Olha que delicia!!

E só para não perder o costume, os recadinhos de sempre!
1 - Tem história lá no HPM também! 
2 - Não tenho medo de stalker, então, vem que vem! Tem TwitterFacebookTumblrAsk.fm e até Instagram (MariCVeiga) hein!


O que o coração não vê...


Andréia continuou sentada no computador apenas ouvindo a movimentação de Diana. Esperou a porta bater nas suas costas e ai sim, colocou pra fora em lagrimas tudo que estava dentro dela. E como nao era o suficiente explodiu em gritos de dor, culpa e arrependimento. So conseguia pensar em Carol. Naquele sorriso lindo, da sua nova companheira, Carol. Andréia sabia o quanto tinha estragado tudo e o quanto sofreria com as conseqüências do próprio ato. Chorou sem parar.

Deixou o trabalho de lado, inventou uma doença qualquer, uma dor insuportável ou algo do tipo para sumir. Mandou uma mensagem para Carol pedindo para que ela avisasse quando estivesse vindo, só para se preparar psicologicamente. Deitou na cama e chorou, chorou mais ainda. Sabia o quanto tinha machucado Carol com aquilo, mesmo que ela ainda nao soubesse disso. Ai estava o ponto chave da questão. Carol nao sabia disso ainda! 

Foi quando Andréia viu o celular piscando na mesinha do lado da cama, era Carol dizendo que estava vindo: "To chegando minha gostosa, to chegando na nossa casa". Aquela mensagem deixou Andréia com mais vontade de chorar e com o coração mais apertado ainda, nao saberia como contar tudo. Mas, pra que contar?

Andréia colocou a mente para trabalhar rapidamente: Diana era pagina virada na sua vida e teve essa certeza hoje a tarde! Carol era quem ela queria passar os próximos muitos anos da sua vida e a menina que ela tanto amava. Nao podia deixar um fantasma do passado acabar com a sua felicidade! E nao ia deixar! Decidiu que nao ia contar nada pra Carol. E quando abriu um leve sorriso por ter decidido isso a campainha tocou. Deu um pulo da cama, tentou tirar a cara de choro, sem sucesso, e correu pra abrir a porta.

"Voce sabe que essa casa tambem é sua agora né? Voce tem a chave!"
"Eu sei, mas era pra voce abrir a porta uma ultima vez pra mim." 

Carol soltou a única mala que tinha com ela e pulou no colo de sua namorada. Deu um beijo gostoso, molhado cheio de paixao mas ao mesmo tempo sem insinuar sexo, apenas para mostrar tudo que sentia por ela ali. Andréia deixou uma lagrima escorrer e dentro de si decidiu que nao estragaria aquilo ali, nao ia contar nada, so ia ser feliz. 

Carol viu a cara de choro e puxou a namorada para sentar no sofá e conversar. 

"Como foi com ela?" - Essa frase trouxe de volta em Andréia a imagem de Diana com a cabeca entre suas pernas lhe dando algum prazer, sacudiu a cabeca para apagar essa imagem.
"Difícil. Ela nao desisti fácil assim, insistiu, implorou..."
"Tudo isso por um teto?" - Carol fez a pergunta a qual ja sabia a resposta.
"Não. Tudo isso por nos. Disse que queria voltar, que so voltou para estar comigo novamente, e que me amava, que nunca deixou de me amar e coisas assim." - Andréia falou uma parte da verdade, isso a deixava um pouco menos culpada. 
"E é por isso que voce ta chorando? Por causa desse amor todo dela?" - Carol falou isso quase como uma ameaça, em um tom de Inquisição. 
"Lógico que nao! Voce sabe que eu te amo! "
"Entao ficou tao triste assim porque?" - Carol parecia nao se conformar com a tristeza que Andréia estava sentindo, era como se sentisse no ar que tinha algo a mais. 
"É que foi uma conversa difícil! Ela falou coisas que nao devia, coisas para magoar. Mas nao estou triste por ela nao!" 

Andréia puxou Carol pra mais perto, que resistiu um pouco mas depois cedeu ao puxão no braço e deitou no peito de Andréia que fazia cafuné e beijava sua cabeca enquanto falava:
"Eu to feliz que agora tenho voce aqui todos os dias comigo! E eu to feliz que tenha encontrado alguém que me ama e que eu amo tanto! Acredita em mim?"
Carol levantou a cabeca, arrastou seu corpo pra cima do de Andréia ate as duas deitarem no sofá.
"Acredito tanto em voce, que mais do que falar, eu vou te provar."
Carol puxou a blusa de Andréia, que nem se mexeu, depois tirou o short ainda olhando nos olhos dela e ai Andréia estava embaixo de Carol sem calcinha, fato que Carol nao percebeu como sendo algo diferente. Quando Andréia foi beijar Carol, Carol deu um leve risinho e fugiu do beijo, sem encostar em nada foi descendo o rosto ate chegar onde queria, foi o primeiro beijo. Foi um prazer descabido que correu o corpo de Andréia, que nao conseguiu nao pensar na mesma coisa que Diana tinha feito a poucos minutos atras. E teve entao a prova final, Diana nunca fez ela se sentir como se sentia com Carol. Aproveitou o prazer que sua mulher estava dando, gozou como nunca antes na vida. Foi o melhor orgasmo que ja teve, e olha que ela achava que nao era possível melhorar com Carol!

Passaram a tarde arrumando as coisas de Carol e aos poucos Diana foi sumindo da mente de Andréia, ate ir embora de vez. Aproveitaram a linda noite que estava e foram caminhar na praia, afinal era onde tudo tinha começado. Sentaram na areia, olhando o mar, abraçadas e em silencio, ate que Carol falou:
"Ate que foi bom a Diana aparecer, eu senti tanto medo de te perder que resolvi lutar por voce, resolvi mudar por voce, resolvi querer voce de verdade"
Andréia nao esperava a declaração de Carol, chorou.
"Entao no final das contas foi ate bom ela ter aparecido. Agora ela se foi de vez e nos podemos fazer a nossa história. Nossa vida começa aqui, hoje e agora."
E com isso, Andréia apagou de sua mente qualquer resquício de Diana, tudo era passado. Seu futuro era com Carol.

0 comentários :

Postar um comentário