[Romances da Mari Veiga] - As Histórias de Má - Cap 4


Boa noooooite meninas!! 
Depois de um dia cansativo, estamos aqui, porque nós não faia! rsrsrs 

E para não perdermos mais tempo, vamos aos, recadinhos de sempre!

Quem quiser ler mais do que eu escrevo, passa lá no meu blog, o HPM, quem quiser me seguir no Twitter, é só me procurar, @MariCVeiga e no Facebook também! Ahhh, e quem quiser bater papo, tem o Kik: MariCVeiga também! ;)

A segunda vez...

E aí pessoal, tudo bem? Depois de contar sobre o dia que eu matei as saudades, vim contar sobre o dia que tive que superar a saudade! Ok, fui meio dramática, mas é mais ou menos isso. Bom, depois que a Didi veio para o aniversario dela e tal e nós matamos a saudade foi mais difícil ainda ver ela ir embora. A saudade aperta né? E fica mais dfícil ainda levar a vida. Mas depois de uns péssimos dias, resolvi levantar a cabeça, liguei o computador e fui atrás da minha vida! 

Tinha uma menina que eu volta e meia conversava no computador. Naquele esquema né, eu era a Má e ela se chamava Patrícia, ou melhor, Tícia, que era o apelido dela! Nessa semana nos falamos mais do que o normal, e com um "carinho" a mais. Eu me jogava mesmo! Rendia de todas as maneiras possíveis! Queria que ela soubesse que estava super afim! Só faltava ela se mexer agora. E isso aconteceu na quinta. Estávamos lá, batendo nosso papinho diário, já tínhamos até mesmo trocado celular e nos falávamos por mensagem quase o dia todo. Estávamos em um clima super bom! 

Enfim, aí na quinta, ela me chamou para sair! Soltei fogos! Tinha sido a primeira semana que eu tinha conseguido não pensar na Didi e eu queria que continuasse assim, aliás, precisava disso. Fui toda feliz né! Sexta íamos nos encontrar longe a beça! Na Barra da Tijuca! rsrsrrs…ok, não é taaaao longe, até pq eu precisava que fosse meio longe né? Íamos em um barzinho gay que tinha por lá! Ela me encontraria na porta, porque senão lá dentro a gente não ia se encontrar nunca! Fui eu, toda arrumadinha e sozinha. Era estranho sair sozinha daquele jeito, eu não sabia se era o certo, ou se era muito rídiculo. Mas fui. Sabia que essa era a única maneira de viver a vida da maneira que me fazia feliz, e então fui.

Cheguei lá e fiquei um pouco distante para esperar a Tícia. Quando a fila foi crescendo, recebi uma mensagem. Sou a última da fila, vem cá! Ps: você está linda. Fiquei toda boba e envergonhada! Mas fui lá né. E ela estava linda também! Estava com um shortinho jeans, uma sandália rasteira e uma blusa linda. Ela tinha cabelos vermelhos cheios de volume, estava pouco maquiada e a verdade é que ela era linda por ela mesmo! Não precisava de muitos extras. Cheguei perto, dei um oi tímido e ela me respondeu com um sorriso estonteante e me puxou para me dar um selinho. MEU DEOS! Ela estava com um hálito de Halls, me deixou excitada dos pés a cabeça! Que menina quente.

A fila andou um pouquinho e ela me puxou para mais perto para falar comigo. "Você quer ficar aqui, ou prefere ir a outro lugar?" Eu não sabia o que responder, então disse que ela podia escolher. Ela me puxou e saímos da fila. Ela tirou uma chave da bolsa e abriu um carro. GENTE, ELA TINHA UM CARRO!! Ela estava sendo muito perfeita para o meu gosto! rsrsrs…No carro ela foi me contando da vida dela, eu contei da minha e rapidamente chegamos a um prédio ali por perto mesmo, entramos na garagem, elevador e eu fui ficando tensa demais. Chegamos ao 11 andar, ela abriu a porta e estavamos em um pequeno apartamentozinho, de um quarto só, com um sala e cozinha americana, daquelas pequenas e um cachorrinho lindo demais que rapidinho veio correndo na nossa direção! O apartamento era dela! SÓ DELA! Meu Deos, essa menina era o paraíso! 

Bom, semana que vem eu conto como foi essa noite tá? Foi demais! Demais mesmo! Beijo gente!

0 comentários :

Postar um comentário